A forte pluviosidade iniciou-se na noite de quarta-feira no oeste do país e avançou rapidamente até ao leste da Grécia continental, inundando em poucas horas muitas ruas de Atenas e Salónica, a segunda maior cidade do país.

A Proteção civil enviou uma mensagem de texto a todos os cidadãos através do sistema 112 pedindo que evitem deslocações desnecessárias, enquanto os bombeiros recebiam dezenas de chamadas.

Em Nea Filadelfia, um subúrbio a norte de Atenas, os alunos de uma escola primária tiveram de ser evacuados utilizando as suas mesas como pontes e após a inundação das salas de aula. As escolas da capital foram encerradas hoje e vão permanecer sem funcionar na sexta-feira em diversos municípios atingidos pelas inundações.

Vários municípios sofreram cortes no fornecimento de energia elétrica por danos provocados nas linhas de média tensão, e uma das principais linhas do metro da capital foi interrompida devido à acumulação de água nas vias.

Os condutores de vários veículos de Glyfada, um subúrbio costeiro a sul de Atenas, foram forçados a subir ao teto dos automóveis devido às inundações, enquanto o tráfego foi interrompido em diversas vias rodoviária da Ática, incluindo numa autoestrada.

O mau tempo também afetou o parlamento helénico, onde a água se concentrou à entrada do edifício, à semelhança do que sucedeu em diversas universidades.

Segundo os 'media' locais, a chuvada em Salónica foi equivalente a metade de todas as precipitações registadas nesta cidade nortenha desde setembro passado.

A tempestade Balos também implicou uma descida das temperaturas e um primeiro nevão em Florina, norte da Grécia, onde em algumas zonas se acumularam 15 centímetros de neve durante a manhã.

PCR // EL

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.