De acordo com um artigo publicado esta semana na edição online do jornal, intitulado "La Folie des Expos" (A Loucura das Exposições, em tradução livre), a mostra da artista portuguesa lidera o top das cinco exposições mais visitadas desde 1960.

Nessa lista, a mostra de Joana Vasconcelos surge com 1,6 milhões de visitantes, seguida da exposição sobre o faraó Tutankamon, realizada no Petit Palais, em 1967, com 1,2 milhões de visitantes, antes da mostra da Coleção Barnes no Museu D´Orsay, em 1993, em terceiro lugar, com 1,15 milhões.

Em quarto lugar está a exposição dedicada ao pintor Claude Monet, no Grand Pallais, em 2011, com cerca de 913 mil visitantes e, em quinto lugar, a mostra dedicada a Dali, realizada no Centro Georges Pompidou, em 1979, com 840 mil visitantes.

Joana Vasconcelos vai representar oficialmente Portugal na Bienal de Arte de Veneza 2013

No artigo de Le Figaro, destaca-se que, no espaço de seis anos, as exposições realizadas em Paris mais do que duplicaram.

De acordo com o jornal, tem-se vindo a verificar, por parte do público, uma grande procura de exposições monográficas dos grandes nomes da arte, como Matisse, Dali e Hopper, sendo que a arte contemporânea e a fotografia são outros dos interesses crescentes do público.

A exposição da artista portuguesa Joana Vasconcelos, no Palácio de Versalhes, em Paris, reuniu, entre 18 de junho e 30 de setembro de 2012, um total de 15 obras de arte contemporânea.

Foi visitada por 1.679.000 pessoas, segundo os dados divulgados na altura pelos responsáveis do monumento.

Joana Vasconcelos, 40 anos, foi a primeira mulher e a mais jovem criadora a expor naquele palácio, onde já se tinham realizado mostras anteriores de arte contemporânea.

Por ali passaram obras do artista norte-americano Jeff Koons, que recebeu 906.559 visitantes, e do artista japonês Takashi Murakami, que atraiu 922.379 pessoas.

Nas várias salas do palácio estiveram, entre outras peças, os sapatos femininos gigantes "Marilyn" (2011), criados com os tradicionais tachos portugueses, e as obras "Coração Independente Vermelho"(2005) e "Coração Independente Negro"(2006), feitas com colheres de plástico.

Nascida em Paris, em 1971, Joana Vasconcelos vive e trabalha em Lisboa. Em 2010 mostrou, no Museu Coleção Berardo, em Lisboa, a sua primeira exposição antológica, intitulada "Sem Rede", com 37 obras, que foi visitada por 167 mil pessoas, em dois meses e meio.

Joana Vasconcelos vai representar oficialmente Portugal na Bienal de Arte de Veneza 2013, num projeto comissariado por Miguel Amado.