WTCC: Volvo e Thed Björk fazem história com a conquista dos títulos

Thed Bjork, a Volvo e Tom Chilton asseguraram os títulos de pilotos, construtores e independentes no WTCC

Foi um dia histórico para a Volvo e para a Polestar Cyan Racing com a conquista do Mundial de Pilotos e de Construtores do WTCC. A equipa chegou ao Qatar, onde tudo se iria decidir, na liderança de ambas as classificações, mas as contas ainda poderiam mudar, pois a diferença não era muita entre Thed Bjork e Norbert Michelisz.

Contudo, a sorte começou por inclinar mais para o lado da Volvo logo na qualificação, quando apesar da pole de um Honda, foi precisamente o carro do candidato ao título a ter problemas, de travões, com ‘Norbi’ Michelisz a não conseguir melhor do que o 11º lugar, enquanto Thed Björk começou logo por somar pontos importantes, que desde logo lhe permitiram aumentar a vantagem no campeonato.

Também no MAC3, os Volvo S60 Polestar TC1 pilotados por Yvan Muller (tetra-campeão do WTCC que substituiu Girolami nesta prova) Thed Björk e Nicky Catsburg mostraram a sua superioridade e aumentaram a liderança da Volvo no Mundial de Construtores.

Na primeira corrida, a Volvo realizou uma corrida perfeita para as suas aspirações, tendo em conta a grelha de partida da primeira corrida. Thed Bjork foi para a frente dos carros azuis, enquanto Yvan Muller e Nicky Catsburg fizeram de tampão aos Honda, que nunca foram capazes sequer de estar em condições de poder passar os Volvo, terminando atrás de todos eles.

Na segunda corrida do dia, em que bastaria ao piloto sueco alcançar a quarta posição para carimbar o título, sem ter que pensar no que faria o adversário, a Polestar Cyan Racing voltou a concretizar uma grande estratégia. Com Muller a defender-se muito bem dos ataques protagonizados pelo principal oponente de Björk, Norbert Michelisz, e com Nicky Catsburg muito próximo do piloto sueco, este viria a cruzar a meta na quarta posição o que lhe valeria a conquista do título, terminando com 28.5 pontos de avanço sobre o húngaro da Honda, com o piloto da Sébastien Loeb Racing, Tom Chilton a terminar em terceiro, a 35 pontos do sueco.

Estas são conquistas inéditas e históricas para o piloto Thed Björk, para a Polestar Cyan Racing e para a Volvo, especialmente relevantes num ano em que esta última se encontra a comemorar o seu 90º aniversário.

Depois da excelente vitória na primeira corrida, Tom Chilton confirmou na segunda, a conquista do WTCC Trophy, porque Mehdi Bennani furou e desistiu, muito cedo na corrida, ficando o seu colega de equipa de imediato com a conquista da competição dos independentes na ‘mão’.

Esteban Guerrieri, substituto de Tiago Monteiro, venceu a última corrida do ano, naquele que é o terceiro triunfo da temporada do argentino.

Classificação:
1º Esteban Guerrieri  Honda 12 voltas
2º Robert Huff Citroën +3.708
3º Nicky Catsburg  Volvo +7.319
4º Thed Björk  Volvo +7.466
5º Tom Chilton  Citroën +8.785
6º Kris Richard Chevrolet +10.589
7º Yvan Muller Volvo +11.459
8º Norbert Michelisz Honda +12.023
9º John Filippi  Citroën +15.942
10º Ryo Michigami Honda +22.140