TT, Rali de Marrocos: Os rivais de Paulo Gonçalves na luta pelo título

Prova arranca amanhã com realização de um Prólogo

É já a partir de amanhã que começa a ser discutido o título mundial de cross country e ralis referente à temporada de 2017 com o arranque do OiLibya Rally, quinta e última ronda do campeonato.

Precisamente nesta batalha que terá lugar em Marrocos um piloto português estará envolvido. Paulo Gonçalves vai tentar alcançar o segundo título mundial da sua carreira, depois do alcançado em 2013, e desta feita oferecer a Portugal nova conquista, que teve como pioneiro Hélder Rodrigues em 2011.

Com uma época muito regular Gonçalves chega ao derradeira evento do ano, que serve também de preparação para o próximo Dakar, no segundo lugar do campeonato. O piloto da Honda está apenas a cinco pontos do líder e atual campeão do mundo em título, Pablo Quintanilla. Numa prova que prevê-se que venha a ser muito dura, o piloto de Esposende terá ao seu lado uma armada de peso composta por Michael Metge, Ricky Brabec e o argentino Kevin Benavides,. O vencedor da última jornada, o Desafío Ruta 40, chega também a Marrocos com hipóteses de sagrar-se campeão apesar de estar a 13 pontos de Quintanilla.

Precisamente no campo da Husqvarna, o piloto chileno vai a jogo sozinho, pois Pela Renet está ainda em recuperação do acidente sofrido no Atacama Rally, prova que curiosamente foi conquistada por Pablo Quintanilla.

Quanto à KTM tem nas suas fileiras o último vencedor do Dakar, Sam Sunderland, que é também um forte candidato ao título e já este ano venceu duas rondas, curiosamente as duas primeiras provas da época: Abu Dhabi Desert Challenge e Qatar Rally. Contudo o piloto britânico é o terceiro do campeonato a apenas seis pontos de Pablo Quintanilla. Ao seu lado Sunderland terá Matthias Walkner, Antoine Méo, Laia Sanz e ainda o irmão de Kevin Benavides, Luciano, que está  dar os primeiros passos nestas lides.

Uma equipa de luxo na qual falta Toby Price, lesionado à última hora. De referir ainda que Walkner é o quinto e último piloto com hipóteses matemáticas de sagrar-se campeão não obstante estar a 21 pontos do comando pelo que precisaria de uma conjugação de resultados perfeita para atingir o mesmo feito conseguido em 2015.

Depois fora da luta pelo título temos outros pilotos que podem vir a baralhar as contas da decisão final. Desde logo Adrien Van Beveren e Alessandro Botturi na Yamaha ou Adrien Metge e Joan Pedrero na Sherco, que estiveram em destaque recentemente no PanAfrica Rally, bem como os nossos Joaquim Rodrigues (Hero) e Mário Patrão.

Como é possível verificar motivos não faltam para assistirmos a uma grande corrida, que passa por alguns dos icónicos caminhos do Dakar africano.