Testes de Colisão: o que é realmente feito?

Os testes de colisão são algo obrigatório durante a conceção de um veículo. Simulando situações reais, são precisamente eles que permitem avaliar em que estado ficaria um automóvel, e respetivos passageiros, se um embate com determinadas características ocorresse na realidade. Neste sentido, e de forma a conceberem os automóveis mais seguros para os seus ocupantes

Os testes de colisão são algo obrigatório durante a conceção de um veículo. Simulando situações reais, são precisamente eles que permitem avaliar em que estado ficaria um automóvel, e respetivos passageiros, se um embate com determinadas características ocorresse na realidade. Neste sentido, e de forma a conceberem os automóveis mais seguros para os seus ocupantes em caso de embate, os testes de colisão assumem um papel muito importante na indústria automóvel, com o carimbo de qualidade a ser dado pelo Euro NCAP (European New Cars Assessment Programme). Conheça alguns procedimentos dos testes de colisão, percorrendo a galeria em cima ou vendo os tópicos em baixo.

André Duarte

Fonte: Seat

Teste de colisão frontal: é simulada uma colisão em que o automóvel embate com uma barreira rígida ou deformável a uma velocidade de 64 km/h;

 

Teste de colisão traseira (este não é realizado pelo Euro NCAP): barreiras móveis com diferentes configurações e velocidades são direcionadas contra a traseira do automóvel de teste;

 

Teste de colisão lateral: uma barreira móvel e deformável bate na lateral do automóvel de teste parado a 50 km/h;

 

Teste do pilar: os automóveis com airbags de cabeça também são sujeitos a este teste. O automóvel embate lateralmente a uma velocidade de 29 km/h contra um pilar de 254 mm de diâmetro. Esta é assim uma forma de simular uma colisão lateral com uma árvore ou um poste, bem como testar o funcionamento dos airbags de cabeça;

Teste do peão: geralmente é realizado a uma velocidade de impacto de 40 km/h, sendo quatro as áreas de contacto em análise: pernas, anca, cabeça da criança e cabeça do adulto;

 

Testes de capotamento: são analisados os danos que podem ocorrer no tejadilho. Há casos de construtores que optam por eles próprios realizarem testes específicos, a fim de conferirem a resistência da estrutura do tejadilho. Nestes casos, por exemplo, o automóvel pode cair de uma altura de 0,5 metros sobre o canto dianteiro esquerdo do tejadilho;