SUVs vão valer 40% das vendas da Opel em 2021

O novo SUV médio de 7 lugares da Opel ocupará o lugar do atual monovolume médio Zafira Tourer, que será descontinuado.

O novo SUV médio de 7 lugares da Opel/Vauxhall, hoje divulgado em sketch (abaixo), ocupará o lugar nas gamas de ambas as marcas do atual monovolume médio Zafira Tourer, também com 7 lugares, que será descontinuado.

Foto: Opel Media

A Opel segue assim a estratégia já experimentada pela Renault, Cirtoen e Peugeot, de substituição de monovolumes por crossovers e SUVs, em linha com a evolução das preferências dos consumidores e com a evolução de vendas dos dois segmentos.

A Renault foi a pioneira, ao lançar, há dois anos, uma nova geração do seu grande monovolume Espace com um look de crossover, uma receita depois também aplicada os monovolumes compactos das gamas Scénic e Grand Sénic. O mini monovolume Modus, por seu lado, foi descontinuado, devido às suas fracas vendas, dando lugar ao mini crossover Captur.

Na Peugeot, o 208 perdeu a versão carrinha SW, substituída pelo mini crossover 2008, enquanto o 5008, um monovolume médio de 7 lugares, foi transformado em SUV.

E o mesmo se passou com o mini monovolume Citroen C3 Picasso, que deu lugar ao mini SUV C3 Aircross, faltando agora aguardar o que acontecerá, no futuro, ao C4 Picasso e C4 Grand Picasso.

Dois novos SUVs

O futuro SUV médio de sete lugares da Opel e chegará ao mercado dentro de dois anos e que ficará posicionado na gama de crossovers/SUV, acima dos atuais Crossland X. Mokka X e Grandland X. Mais adiante, um outro SUV, de grandes dimensões, poderá vir a ser produzido em Ruesselshiem, a principal fábrica alemã da Opel.

De acordo com o plano estratégico da Opel, ontem revelado, e que prevê a eletrificação de todos os modelos da marca e a utilização de arquiteturas, motores e transmissões do Grupo PSA, o novo SUV terá uma versão híbrida recarregável (plug-in) e será montado na fábrica alemã de Eisenach, com base na plataforma EMP2.

O plano estratégico da Opel prevê que os SUVs e crossovers valham cerca de 40% das vendas em volume da companhia em 2021:

Fim do Karl e Cascada e novo Insignia

Em simultâneo com o lançamento de novos SUVs e crossovers com plataformas, motores e transmissões da PSA, que em agosto integrou a Opel/Vauxhall no grupo que controla a Citroen, Peugeot e DS, está também previsto que todos os modelos que ainda utilizam mecânicas e plataformas da GM, serão descontinuados.

O objetivo é deixar de pagar, o mais rapidamente possível, royalties pela utilização de tecnologias da GM, a anterior proprietária da Opel/Vauxhall. Para já, segundo a Automotive News Europe, esta estratégia implicará o fim do Opel Karl/Vauxhall Viva e do descapotável Cascada, a que se seguirá o atual Insignia, que ganhará uma nova geração com base técnica PSA.