Opel integra operações de Portugal e Espanha

A Opel vai integrar as suas operações na Península Ibérica, segundo o mesmo modelo implementado há três anos pelo Grupo PSA, novo dono da marca alemã.

A Opel vai integrar as suas operações na Península Ibérica, segundo o mesmo modelo implementado há três anos pelo Grupo PSA, soube o automonitor. A mudança, que será implementada ainda neste trimestre, implicará que a Opel Portugal deixará de ter um diretor-geral, passando a contar com um country manager que reportará diretamente a ao diretor-geral ibérico em Madrid.

Foto: OPel

A Opel, que desde setembro passou a estar também integrada no Grupo PSA, seguirá assim o modelo de organização ibérica implementado pelo grupo francês que controla a Peugeot, Citroen e DS, mas manter-se-á autónoma das marcas francesas. A integração garantirá enormes sinergias e maior colaboração entre Portugal e Espanha.

A automonitor sabe que country manager que sucederá ao atual diretor-geral da Opel, João Falcão Neves, à frente dos destinos da marca, é português e já integra os quadros da empresa.

Em fevereiro de 2015, Rafael Prieto, até então administrador-delegado da Peugeot em Espanha, foi nomeado diretor-geral ibérico da Peugeot, Citroen e DS, assumindo o controlo das três marcas do grupo. Com reporte direto a Prieto ficaram os diretores ibéricos das marcas: o português Jorge Tomé, com a Peugeot e o espanhol Pablo Puey, com a DS e Citroen.

Alfredo Amaral, anterior diretor-geral da Peugeot Portugal, manteve-se como responsável máximo pelo mercado português, como diretor regional do grupo. A integração a nível ibérico garantirá sinergias de custos e maior eficiência, defende a PSA.