IMSA, Petit Le Mans: ESM vence após penalização a Filipe Albuquerque

Castigo atirou o Cadillac # 5 para o quinto lugar final

A 20ª edição do Petit Le Mans, que mais uma vez encerrou a temporada do IMSA Sportscar, foi animada do princípio ao fim, com algum drama à mistura, como sucede nesta ‘clássica’ que mais uma vez teve como ‘palco’ o Circuito de Road Atlanta. As mudanças de liderança foram quase constantes, ainda que a ESM se tenha mostrado muito constante, com os seus Nissan Onroadk DPi a passarem várias vezes pela primeira posição, tal como João Barbosa e Filipe Albuquerque no Cadillac DPi # 5 da Action Express Racing, que dividiram com Christian Fittipaldi, ou o Oreca 07 Gibson # 6 do Team Penske.

A prova seria decidida a 30 minutos do fim, quando Albuquerque  sofreu uma penalização que o afastaram da discussão do triunfo.  A punição ao carro dos portugueses deveu-se a um contacto com o Cadillac # 31 de Dane Cameron, o segundo carro da Action Express Racing. O piloto português teve de cumprir um ‘stop & hold’ nas boxes, e ainda 60 segundos adicionais. E isso acabou por jogar em favor de Brendon Hartley, apesar da forte pressão exercida por Cameron, permitindo assim a vitória ao neozelandês, a Scott Sharp e a Ryan Dalziel, que com ele dividiram a condução do Nissan DPi # 2 da ESM. Cameron, Eric Curran e Mike Conway tiveram de se contentar com a segunda posição, à frente de Juan Pablo Montoya, Simon Pagenaud e Hélio Castroneves, que beneficiaram da penalização ao Cadillac # 5 para terminarem na última posição do pódio com o Oreca 07 # 6 do Team Penske, que arrancara da ‘pole-postion’.

Em GT Le Mans o triunfo foi para o BMW M6 GTE # 25, na despedida da RLL do modelo de Munique, que em 2018 vai ser substituído pelo novo M8 GTE. Bill Auberlen, Alexander Sims e Kuno Wittmer foram os mais fortes na fase final da prova, apesar da forte ofensiva de Antonio Garcia no Corvette C7 R #3, que teria de se contentar com a segunda posição, suficiente para o espanhol e para Jan Magnussen se sagrarem campeões, numa corrida em que tiveram o reforço de Mike Rockenfeller. Apesar de terem largado da ‘pole-position’, Toni Vilander, Giancarlo Fisichella e Alessandro Pierguidi tiveram de se contentar com o último lugar do pódio, depois de uma prova com altos e baixos no Ferrari 488 GTE # 62 da Risi Competizione. O top cinco foi completado pelo Corvette # 4 de Tommy Milner e Olive Gavin e pelo Porsche 911 RSR # 912 de Laurens Vanthoor, enquanto Ryan Briscoe deitou tudo a perder para o Ford GT # 67 a meia hora do final, quando se despistou. Em GT Daytona vitória para o Audi R8 LMS da Land Motorsport, confiado a Christopher Mies, Connor de Phillippi e Sheldon van der Linde.