F1, Max Chilton: “A Fórmula 1 não é desporto”

O antigo piloto da Marussia deixou críticas à falta de competitividade da F1.

Max Chilton considera que a Fórmula 1 não é um desporto devido à enorme diferença de desempenho das várias equipas. O britânico, que agora corre na Fórmula Indy, esteve dois anos na F1, na Marussia, em 2013 e 2014, e afirma que a diferença de desempenho entre as melhores equipas e as piores não deixa que os pilotos provem o seu talento.

“Eu corri contra pilotos como o Daniel (Ricciardo), que ganham corridas, por isso sei que não estou a um milhão de quilómetros de distância. É frustrante quando o desporto é tão injusto. Quando se está a pilotar e és passado por um carro que é 35 KM/H mais rápido, isso não é desporto. O problema que a F1 tem, neste momento, é que existe um intervalo de quatro segundos entre o carro principal e o carro de trás, e isso não é realmente desporto. No desporto devem estar todos nivelados ou o mais próximo possível. Aprendi muito e adoraria voltar para a F1 um dia, mas teria que estar numa equipa do meio para a frente. O automobilismo nunca vai ser assim, é impossível, mas a Indy, no próximo ano, vai ser tão equilibrada quanto uma categoria pode ser. Todos têm o mesmo kit aerodinâmico e há muito pouca diferença entre os motores; as corridas devem ser ainda mais próximas no próximo ano, o que é ótimo para os fãs. É também uma ótima oportunidade para a Carlin. Ainda temos muito a aprender, mas espero que até ao final do ano possamos produzir alguns resultados”, disse Chilton ao Sportsmail.

De segunda a sábado,

consulte os especialistas em Desporto, Atualidade, Entretenimento, Tecnologia, Lifestyle e Motores.