Dakar 2018 -Jutta Kleinschmidt: “Laia Sanz deveria passar para os autos”

Alemã venceu o Dakar na categoria auto em 2001

Em 39 edições do Dakar já realizadas apenas por uma vez uma piloto do género feminino sagrou-se vencedora. Tal aconteceu em 2001 quando Jutta Kleinschmidt venceu na categoria auto ao volante de um Mitsubishi Pajero e tendo ao lado outra senhora, Andreas Schulz.

Pois bem nos dias de hoje existe outra piloto do género feminino que dá nas vistas, mas na categoria moto. Falamos de Laia Sanz que em 2015 conseguiu terminar a prova organizada pela Amaury Sport Organisation no nono posto, tornando-se na segunda senhora a conseguir fechar o Dakar no top 10 da categoria.

No entanto para Jutta Kleinschmidt a piloto da KTM deveria seguir as suas pisadas e trocar a categoria moto pelos autos. “É uma piloto muito boa aos comandos de uma moto e fico fascinada ao ver como outra piloto do género feminino mostra capacidade para lutar com os pilotos masculinos. A Laia ainda é jovem, mas recomendo que caso queira mudar para a categoria auto que o faça o mais cedo possível. Se esperar até aos 40 anos já será demasiado tarde. Acredito que também possa ser veloz ao volante de um automóvel”, disse a alemã ao site ‘Motorsport.com’.

A verdade é que Jutta Kleinschmidt fez a transição aos 31 anos, enquanto Laia Sanz que já conta com 32 anos parece estar, para já, de pedra e cal nas duas rodas.

No seu email. Sem contraindicações.

De segunda a sábado, consulte os especialistas em Desporto, Atualidade, Entretenimento, Tecnologia, Lifestyle e Motores.