Armindo Araújo: “Um Hyundai na frente será sempre bom, se for o meu, perfeito…”

Armindo Araújo volta para vencer, mas admite que há muito trabalho a fazer para que isso aconteça...

Confirmado que está oficialmente o projeto da Hyundai Portugal, Armindo Araújo revelou em declarações ao 16 Válvulas que só está à espera da chegada do carro a Portugal para dar início a um trabalho de adaptação: “Estamos dependentes da data de entrega do carro, assim, que chegar iremos para testes, de modo a criar um bom set up base, e depois testar antes de cada prova. Numa primeira fase pretendemos fazer um teste mais intenso, de modo a conhecer o carro, que nunca guiei, e ganhar ritmo de competição de modo a iniciarmos o CPR o melhor preparados possível”.

Armindo Araújo revelou ainda que o navegador está escolhido, mas não é – naturalmente – o Miguel Ramalho, que está com o Miguel Barbosa. De resto o piloto e a sua ‘entourage’ estão a trabalhar nos patrocinadores, sendo que o piloto já revelou que regressam vários que já o apoiaram no passado, mas também há parceiros novos. De resto, aquando da apresentação oficial ficará a conhecer-se outra excelente notícia para o desporto motorizado português…

Tal como já se sabia, são duas as estruturas independentes que irão apoiar cada um dos pilotos, Carlos Vieira e Armindo Araújo, tudo isto sob o ‘chapéu’ da Hyundai Portugal: “eu e o Carlos (Vieira) somos apoiados oficialmente pela Hyundai, mas cada um terá as suas opções técnicas e a sua equipa. Todas as soluções, minhas e do Carlos serão autónomas pois não somos colegas de equipa, mas sim colegas da marca que defendemos”, disse o piloto que explicou como tudo isto surgiu: “O facto de fazer de carro zero no Rali de Portugal foi um relembrar de situações e emoções que vivi durante toda a minha vida desportiva, e isso acendeu novamente a chama da competição. Pouco depois começaram a haver contactos, surgiu a oportunidade Hyundai, trabalhámos no projeto, houve condições para andar e agora vamos lutar pelas melhores posições possíveis no campeonato. Quero lutar pelas vitórias e campeonato, venho para ganhar, mas sem esquecer que não estarei no ritmo nos primeiros ralis. Os meus colegas estão bem preparados, têm excelentes carros e tudo farão para me complicar a vida, e também vão tentar vencer. Não sei se irei ganhar ou perder, terei que passar pela fase de adaptação ao ritmo que já não tenho há muito tempo, mas espero que a adaptação seja rápida e estou focado em preparar-me o melhor possível, ter o melhor engenheiro possível, para chegarmos às melhores soluções técnicas o mais rapidamente possível. E que vença o melhor, que vença o mais rápido, um Hyundai na frente será sempre bom, se for o meu, perfeito…”

Se quiser ouvir a entrevista na íntegra, CLIQUE AQUI