24 Horas Daytona, Filipe Albuquerque: “Depois do que aconteceu o ano passado, sem dúvida alguma, o mundo é justo…”

Filipe Albuquerque, João Barbosa e Christian Fittipaldi venceram as 24 Horas de Daytona, uma prova em que sofreram a bom sofrer

Filipe Albuquerque, João Barbosa e Christian Fittipaldi venceram as 24 Horas de Daytona, uma prova em que sofreram a bom sofrer, devido aos problemas de sobreaquecimento do motor do seu Cadillac DPI, nas últimas seis horas de prova. Depois de tanto domínio nas 18 horas anteriores, e depois do que sucedeu o ano passado, era por demais injusto o desfecho que se chegou a julgar quase inevitável, mas o desporto automóvel tem tanto de ‘matreiro’, como de justo, e Filipe Albuquerque levou magistralmente o seu #5 até à bandeira de xadrez, assegurando um triunfos histórico, e um dos maiores feitos de sempre da história do desporto automóvel português:

“Tão contente! As últimas seis horas foi sempre a gerir, e eu as últimas três. foi um sofrimento inacreditável, ainda para mais depois do ano passado ter liderado grande parte da prova e ter perdido nos últimos sete minutos, já pensava, ok, vai ser no fim que o motor vai partir, porque a temperatura estava muito alta e não conseguíamos baixá-la nem por nada, só levantar pé, e portanto foi, as últimas seis horas, entre o João e eu, sempre a levantar pé para para não meter a temperatura ainda mais alta, mas depois era difícil porque começava a suspeitar de todos os barulhos, pensava que era o motor, depois os travões não aqueciam, os pneus ficaram cheios de borracha, mas enfim, foi uma prova espetacular, o carro estava ótimo, liderámos para aí 80 por cento da prova, estivemos sempre na liderança e quando não tivemos era por causa dos pit stops, a equipa está toda de parabéns e principalmente depois do que aconteceu o ano passado, sem dúvida alguma, o mundo é justo…”