Uber testa modelo por subscrição na UberEATS

Spotify para a música, Netflix para os filmes e... UberEATS para a comida. A Uber está a testar um novo modelo de subscrição para a UberEATS como forma de fidelizar mais clientes.

Spotify para a música, Netflix para os filmes e... UberEATS para a comida. A Uber está a testar um novo modelo de subscrição para a UberEATS como forma de fidelizar mais clientes.

A UberEATS poderá vir a oferecer um novo modelo por subscrição. A avançar, esta nova opção deverá eliminar as taxas de entrega aos subscritores, dando-lhes ainda acesso a promoções e menus exclusivos. A informação foi revelada por um executivo da Uber numa entrevista à Business Insider, que assumiu que já foram realizados testes em algumas cidades específicas.

Esta aplicação da Uber permite a entrega de refeições ao domicílio e está disponível em Lisboa desde o final do ano passado. Um modelo por subscrição permitiria à Uber fidelizar mais clientes e, em teoria, aumentar as receitas, numa altura em que existem cada vez mais serviços do mesmo género no mercado.

“Estamos constantemente a fazer testes. De facto, fizemos alguns testes [ao modelo por subscrição] com alguns grupos em cidades específicas”, disse Toussaint Wattinne, diretor-geral da Uber no Reino Unido, citado pela Business Insider. Contudo, o gestor não esquece que existem outros fatores com influência sobre a retenção de clientes. “Há funcionalidades e aspetos fundamentais da experiência que alimentam a maioria da nossa retenção. O que leva o utilizador a voltar vai ser, principalmente, os restaurantes incluídos, a confiabilidade da experiência e o tempo da entrega”, acrescentou.

Em Portugal, a Glovo é vista como um dos principais concorrentes da UberEATS, enquanto, em alguns mercados estrangeiros, a Deliveroo e a Just Eat são as principais alternativas. Também a Amazon estará já de olhos postos neste negócio.

Um modelo por subscrição, à semelhança do que acontece noutros segmentos de mercado (como o Spotify para a música e o Netflix para os filmes e séries), não é novidade para as aplicações de entrega de refeições. Segundo o jornal, a Deliveroo já lançou a funcionalidade no Reino Unido em novembro de 2017: por 7,99 libras (cerca de nove euros), os utilizadores ficam isentos da taxa de entrega de 2,50 libras (2,81 euros). Em Portugal, a Uber cobra uma taxa de 2,90 euros por cada encomenda.

De segunda a sábado,

consulte os especialistas em Desporto, Atualidade, Entretenimento, Tecnologia, Lifestyle e Motores.