Tecnológicas seguram Wall Street

Microsoft, Facebook e Google aguentaram ganhos em Wall Street. Investidores continuam atentos ao plano fiscal que abriu uma ferida entre os republicanos do Senado e do Congresso americano.

Microsoft, Facebook e Google aguentaram ganhos em Wall Street. Investidores continuam atentos ao plano fiscal que abriu uma ferida entre os republicanos do Senado e do Congresso americano.

Ganhos acima de 1% nas ações da Microsoft, Facebook e Google contribuíram para deixar Wall Street em terreno positivo, permitindo que o índice S&P 500 colocasse um ponto final no pior ciclo desde agosto.

Enquanto os investidores continuam a avaliar os detalhes do novo plano fiscal aprovado no fim de semana pelos republicanos no Senado, documento que levantou alguma polémica entre os republicanos do Congresso, foi a recuperação do setor tecnológico que deu pequeno impulso às bolsas do outro lado do Atlântico esta quarta-feira.

No caso do índice de referência mundial, o S&P 500, fechar em alta de 0,08% significou simultaneamente o fim de um ciclo de três sessões em queda, o pior desde agosto. Acompanhou nos ganhos tecnológico Nasdaq, que avançou um pouco mais: 0,21%. Já o industrial Dow Jones terminou no vermelho: baixa de 0,16%.

“É difícil de especular em relação a proposta final do plano de impostos. Penso que as movimentações do mercado estão associadas a isso. Ainda assim, os fundamentais e o sentimento são sólidos”, frisou Sean O’Hara, da Pacer Financial, à agência Reuters.

No mercado petrolífero, o preço do barril atingiu a cotação mais baixa em dois anos nesta sessão, pressionado por sinais de menor consumo nos EUA traduzida pelo um aumento dos inventários de produtos refinados. Neste cenário, as ações da petrolífera Chevron e Exxon caíram quase 1%.