Sobral de Monte Agraço entra no grupo dos concelhos com maior poder de compra por habitante

Dos 308 concelhos do país, há agora 33 com um poder de compra acima da média nacional. Sobral de Monte Agraço passou a constar do lote dos concelhos 'mais ricos' do país.

Dos 308 concelhos do país, há agora 33 com um poder de compra acima da média nacional. Sobral de Monte Agraço passou a constar do lote dos concelhos 'mais ricos' do país.

Sobral de Monte Agraço

ECO - Economia Online

São 33 os municípios cujo poder de compra por habitante está acima da média nacional, segundo um estudo relativo a 2015 revelado esta sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Em comparação com o último estudo, realizado em 2013, há mais um concelho no lote dos ‘mais ricos’: é o caso de Sobral de Monte Agraço, um município que faz parte do distrito de Lisboa.

“Dos 308 municípios portugueses, 33 apresentavam valores acima da média nacional relativamente ao indicador do poder de compra per capita“, refere o INE no estudo, assinalando que a maior parte destes concelhos situam-se nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto e coincidem com as capitais de distrito do país.

Este número compara com os 32 concelhos no estudo referente a 2013 (o estudo do INE é realizado de dois em dois anos), com Sobral de Monte Agraço a passar de um poder de compra de 95,54 para 103,09. Este foi também o concelho que mais melhorou o seu desempenho neste indicador. O poder de compra, em termos per capita, é medido tendo por referência o valor nacional de 100.

Este indicador serve para ter uma “aceção ampla de bem-estar material”, explica o INE, referindo que esta informação traduz “o poder de compra manifestado quotidianamente nestes espaços geográficos”. Em 2015, 50% do poder de compra nacional estava concentrado em 23 municípios, cerca de 7,5% dos concelhos existentes. Em 2013, a leitura era semelhante.

Fonte: Instituto Nacional de Estatística.

ECO - Economia Online

Lisboa e Porto são os dois municípios com maior poder de compra — Porto passou Oeiras que estava em segundo lugar no estudo realizado em 2013. Em termos de divisão do país, a Área Metropolitana de Lisboa (124,7) é a que tem maior poder de compra, seguida do Algarve (95,2), o Norte (92,1), o Alentejo (91) e o Centro (88,8). Seguem-se ainda as regiões autónomas da Madeira (86,9) e Açores (85,5) que continuam abaixo da média nacional e do valor do indicador para o Continente (100,7).

Veja o ranking dos concelhos com um poder de compra acima da média nacional (Portugal = 100):

Fonte: Instituto Nacional de Estatística

Ponta do Sol é o concelho com menor poder de compra

Fonte: Instituto Nacional de Estatística

Na lista dos piores, as pontuações do indicador mantém-se entre 50 a 60, ou seja, cerca de metade do poder de compra da média nacional. Ponta do Sol, um concelho da ilha da Madeira, teve o pior desempenho em 2015. Segue-se o Tabuaço, em Viseu, e Celorico de Basto, em Braga. Cinfães, que no ano passado estava em último lugar, conseguiu recuperar três lugares.