Novo terminal de cruzeiros de Lisboa inaugurado hoje

O terminal devia ter entrado em funcionamento em maio. O atraso foi explicado com as condições climatéricas adversas que se fizeram sentir em Lisboa.

O terminal devia ter entrado em funcionamento em maio. O atraso foi explicado com as condições climatéricas adversas que se fizeram sentir em Lisboa.

O novo terminal de cruzeiros de Lisboa vai ser inaugurado hoje, depois de o Governo ter previsto a sua entrada em funcionamento para maio e, posteriormente, a sua inauguração no verão.

Em março, o Governo estimou que o novo terminal de cruzeiros de Santa Apolónia iria entrar em funcionamento em maio, mas em meados desse mês a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, apontou que, terminadas as obras em junho, a infraestrutura poderia ser inaugurada durante o verão, o que não chegou a acontecer.

Questionada já no final de maio sobre as declarações proferidas em março, a governante justificou o atraso com as condições climatéricas adversas que se fizeram sentir em Lisboa.

“Julgo que o rigor que está a ser aplicado nesta obra faz com que seja necessário um pouco mais de tempo do que estava previsto. Mas é por boas razões, porque, efetivamente, estão a ser aplicados, não só materiais, como a ser utilizados métodos construtivos, um pouco diferentes e inovadores (como o betão com cortiça), que exigem um pouco mais de tempo”, explicou aos jornalistas que a acompanharam numa visita àquela gare.

Informação enviada à Lusa pela Administração do Porto de Lisboa (APL) refere que o novo terminal iniciou a sua atividade no dia 18 de setembro, quando recebeu um navio com 3.500 passageiros.

A mesma informação aponta que um investimento de 54 milhões de euros, a cargo da APL, permitiu a construção “dos cerca de 676 metros de cais acostável, o reforço dos cais existentes e o aterro da doca do Terreiro do Trigo”.

O projeto é da autoria do arquiteto João Luís Carrilho da Graça, que venceu um concurso público internacional de ideias, lançado pelo Porto de Lisboa em 2010.

Em 2014 foi assinado o contrato de concessão, que representa um investimento privado de 23 milhões de euros.

Esta obra prevê um edifício com 13.800 metros quadrados em três andares e capacidade para 800 mil passageiros por ano, o que representa um aumento de 300 mil face aos números atuais.

O cais do novo terminal terá 1.490 metros quadrados e “capacidade para receber navios de vários tipos e dimensões com um calado até 12 metros”, acrescenta a informação disponibilizada.

Segundo a mesma nota, o terminal permitirá também o embarque e desembarque máximo de 4.500 passageiros, terá estacionamento para 360 veículos ligeiros e 80 autocarros ou táxis turísticos, um terraço panorâmico e internet gratuita.

A APL prevê para este ano “334 escalas e 522.700 passageiros”.

“Relativamente a 2018, a concessionária estima a realização de 361 escalas e 617 mil passageiros, o que significa um crescimento face às previsões para 2017 de cerca de 8% nas escalas e de 18% no número de passageiros, fazendo de 2018 o melhor ano de sempre do Porto de Lisboa”, acrescenta a nota.

A cerimónia vai contar com a presença do primeiro-ministro, António Costa, da ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, e do presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, a par da presidente da APL, Lídia Sequeira, do presidente da ‘Lisbon Cruise Terminals’, Luís Miguel Sousa, e do diretor executivo da ‘Global Ports Holding’, Emre Sayin.