Moody’s decide em abril se tira Portugal de “lixo”

A única agência de rating que mantém a dívida de Portugal num nível considerado investimento especulativo volta a avaliar o país no dia 20 de abril. No mesmo dia, a DBRS também atualiza rating.

A única agência de rating que mantém a dívida de Portugal num nível considerado investimento especulativo volta a avaliar o país no dia 20 de abril. No mesmo dia, a DBRS também atualiza rating.

A Moody’s, a única agência de notação financeira que ainda mantém Portugal num nível de lixo, só deverá rever o rating atribuído ao país a 20 de abril, segundo o calendário de 2018 divulgado pela empresa.

De acordo com os calendários mais recentes de revisão dos ratings em 2018 das quatro maiores agências de notação financeira, a Standard & Poor’s será a primeira a pronunciar-se sobre Portugal este ano (a 16 de março), seguindo-se a Moody’s e a DBRS (ambas a 20 de abril) e, por fim, a Fitch (a 01 de junho).

Entre estas quatro agências, apenas a Moody’s continua a atribuir à dívida pública portuguesa uma notação de especulação, o Ba1 (o nível mais elevado de lixo), com perspetiva positiva, o que significa que, na próxima avaliação a Portugal, a 20 de abril, deverá melhorar o rating atribuído à dívida soberana portuguesa.

Nesta data será também a vez da canadiana DBRS olhar para Portugal. Recorde-se que esta agência atribui a Portugal uma notação acima do lixo desde 2013 (o BBB low, que equivale ao primeiro nível de investimento), o que se deve manter nesta avaliação em abril, já que a perspetiva atribuída ao rating da dívida pública portuguesa por esta agência é ‘estável’.

Antes disso, a S&P inicia as avaliações que as agências de notação vão fazer a Portugal durante este ano, a 16 de março, depois de em setembro ter sido a primeira entre as principais três agências mundiais a tirar Portugal do lixo, depois da crise económica, subindo o ‘rating’ em um patamar, de BB+ (ainda especulativo) para BBB- (o primeiro nível de investimento).

A nota atribuída pela S&P a Portugal tem perspetiva estável, o que habitualmente significa que o rating se deve manter na revisão seguinte. No entanto, em setembro, a S&P surpreendeu ao rever em alta a notação sem melhorar a perspetiva previamente.

A última agência de rating a pronunciar-se sobre Portugal será a Fitch, que depois de na última avaliação ter surpreendido, ao melhorar a notação atribuída em duas notas, do lixo BB+ para BBB, volta a analisar o país a 01 de junho.

A segunda ronda de avaliações à dívida pública portuguesa inicia-se com a S&P a 14 de setembro, prossegue com a Moody’s e a DBRS a 12 de outubro e termina com a Fitch a 30 de novembro.

As agências de rating passaram a ter de divulgar no final de cada ano o calendário para o ano seguinte, respeitando assim a diretiva 462/2013 da Comissão Europeia, que determina que as atualizações dos ‘ratings’ soberanos sejam publicadas a uma sexta-feira e apenas depois do fecho das bolsas, por forma a reduzir os riscos de volatilidade do mercado.

No entanto, as agências de notação financeira podem desviar-se das datas definidas desde que expliquem essa alteração e que isso não se torne frequente, pelo que os calendários agora divulgados são meramente indicativos.

No seu email. Sem contraindicações.

De segunda a sábado, consulte os especialistas em Desporto, Atualidade, Entretenimento, Tecnologia, Lifestyle e Motores.