Investimento imobiliário no centro de Lisboa subiu 17% até junho

“No primeiro semestre deste ano foram transacionados 898 imóveis no centro histórico de Lisboa, num volume de investimento de cerca de 345 milhões de euros”, revelou a Confidencial Imobiliário.

“No primeiro semestre deste ano foram transacionados 898 imóveis no centro histórico de Lisboa, num volume de investimento de cerca de 345 milhões de euros”, revelou a Confidencial Imobiliário.

O investimento imobiliário no centro histórico de Lisboa durante o primeiro semestre deste ano foi de cerca de 345 milhões de euros, “um crescimento de 17% face ao semestre anterior”, segundo o índice da Confidencial Imobiliário, hoje divulgado.

“No primeiro semestre deste ano foram transacionados 898 imóveis no centro histórico de Lisboa, num volume de investimento de cerca de 345 milhões de euros”, revelou a Confidencial Imobiliário, com base nos dados do Índice de Preços do Centro Histórico de Lisboa (IPCHL), que integra as freguesias lisboetas da Misericórdia, Santa Maria Maior e São Vicente.

As transações realizadas incluem a “venda quer de prédios, quer de frações, reabilitados ou por reabilitar, nas áreas de habitação, retalho e serviços”.

O volume de investimento de cerca de 345 milhões de euros representa “um crescimento de 17% face ao semestre anterior, quando foram transacionados 296 milhões de euros”, é indicado no índice.

Em termos do número de imóveis vendidos, manteve-se praticamente ao nível do semestre anterior (889 transações), pelo que “o aumento do volume de investimento terá provavelmente resultado da aposta em imóveis de maior valor”. “Assim, o volume médio de investimento rondou os 394 mil euros no primeiro semestre deste ano, quando no semestre anterior se tinha fixado em 338 mil euros”, apurou a Confidencial Imobiliário.

Apesar do crescimento face ao semestre anterior, os resultados do primeiro semestre deste ano representam uma “queda” face ao semestre homólogo – primeiro semestre de 2016 -, “quer no volume de investimento (- 13% face a 395 milhões de euros) quer no número de ativos transacionados (-34% face às 1.345 transações)”, de acordo com os dados do IPCHL. “De assinalar que o primeiro semestre de 2016 atingiu, em ambos os indicadores, a marca mais elevada desde 2013”, destacou a Confidencial Imobiliário.

Relativamente aos preços no centro histórico de Lisboa, o índice revela que o primeiro semestre deste ano prossegue uma “trajetória de valorização”, registando-se um aumento semestral de 14% e homólogo de 26%.

“A tendência de subida de preços verifica-se há já seis semestres consecutivos (desde meados de 2014), observando-se, assim, uma subida acumulada de 67% nos preços praticados no centro histórico desde então”, segundo é revelado no IPCHL.