Insolvências caem 13% em novembro face ao período homólogo

Em novembro foram registadas 622 insolvências, menos 93 do que em 2016. Também foram criadas mais empresas, principalmente no distrito de Lisboa.

Em novembro foram registadas 622 insolvências, menos 93 do que em 2016. Também foram criadas mais empresas, principalmente no distrito de Lisboa.

As insolvências em Portugal diminuíram 13% em novembro face ao mês homólogo de 2016, segundo dados recolhidos pela Iberinform, mantendo uma tendência que se prolonga há oito meses.

Segundo a filial da Crédito y Caución, em novembro foram registadas 622 insolvências, menos 93 do que em 2016, e o acumulado do ano totaliza 5.849 empresas insolventes, valor também inferior ao do ano passado (menos 836) e que traduz um decréscimo de 12,5%.

Lisboa e Porto são os distritos com o número de insolvências mais elevado, 1.596 e 1.209 respetivamente, embora tenham diminuído 2,4% e 17% relativamente a igual período de 2016. De acordo com os dados recolhidos pela Iberinform, os distritos com decréscimos mais significativos são: Angra do Heroísmo (70,4%), Beja (40,5%), Coimbra (39,8%) e Ponta Delgada (39,1%).

Os aumentos mais notórios, por sua vez, registam-se em Faro (acréscimo de 22,4%), Portalegre (11,1%), Bragança (7,1%) e na Madeira (7,7%).

Os setores que apresentam maior variação no número de insolvências são a eletricidade, gás e água (menos 22,2%), agricultura, a caça e pesca (menos 20,4%), indústria extrativa (menos 20%), comércio de veículos (menos 17,8%), construção e obras públicas (menos 17,2%), comércio por grosso (menos 14,9%) e comércio a retalho (menos 14%).

O setor de telecomunicações, por seu turno, apresenta uma variação nula e apenas os setores de hotelaria e restauração e outros serviços registam redução inferiores a dois dígitos, de 3,4% e 8,9% respetivamente, acrescenta.

Ao nível das constituições, no mês em análise, a Iberinform diz que foram constituídas 3.160 novas empresas, o que se traduz num crescimento homólogo de 14% e, no acumulado do ano, num aumento de 9,7% (total até novembro de 37.575 novas empresas). Lisboa mantém a liderança destacada, com 12.652 novas empresas, e um aumento de 5,8% em relação a 2016.

O distrito de Lisboa representa 33,7% do total nacional, reforçando o seu peso em 1,5% em 2017. O Porto surge na segunda posição, com 6.588 constituições, embora com uma queda de 2,6% face ao ano transato, com o distrito a representar 17,5% do total nacional.

Braga ocupa a terceira posição, com 2.742 constituições (decréscimo de 2,5% face a 2016), seguido pelo distrito de Setúbal com 2.587 constituições (aumento de 11,4%). Os três setores com maior peso são outros serviços (46,6%), hotelaria/restauração (12,4 %) e comércio a retalho (9%).

De segunda a sábado,

consulte os especialistas em Desporto, Atualidade, Entretenimento, Tecnologia, Lifestyle e Motores.