Governo negoceia aumento maior das pensões com o PCP

Os comunistas querem um aumento de dez euros para todas as pensões. Para já, esse aumento só está garantido para as pensões acima de 588 euros.

Alcançado o acordo com o Bloco de Esquerda para criar dois novos escalões de IRS, o Governo está agora a negociar com o PCP um aumento maior nas pensões. Segundo o Público (acesso condicionado), os comunistas estiveram reunidos com Mário Centeno na quarta-feira e querem um aumento de 10 euros para todas as pensões — exigência que Jerónimo de Sousa reforçou esta semana, no debate quinzenal.

Durante o debate no Parlamento, António Costa já fez saber que o crescimento do PIB, mais robusto do que o previsto, vai permitir atualizar todas as pensões com aumentos acima da inflação. Ao que o ECO apurou, o Governo está a contar com uma subida de 2,44% do PIB este ano para aumentar as pensões até 842,64 euros acima da inflação. As restantes pensões também deverão ser atualizadas, algo que não acontecia desde 2009.

Prova dos 9: as pensões vão crescer mais em 2018?

Estes aumentos serão possíveis com a aplicação de uma lei que prevê atualizações das pensões consoante a evolução da economia e da inflação. Esta lei esteve suspensa vários anos e foi agora retomada, permitindo aumentos contidos nas pensões mais baixas.

Ao Público, um membro do Governo admite que os dados que António Costa já tem sobre a evolução da economia no último trimestre permitirão “seguramente dez euros de aumento para pensões acima dos 588 euros“. Mas o PCP quer aumentos para todas as pensões e, para as pensões abaixo deste valor, ainda não há acordo. “Não está fechado, estamos a trabalhar nisso ainda”, diz a mesma fonte, acrescentando que o objetivo é deixar PCP e Bloco de Esquerda “confortáveis” com as soluções encontradas.