Espanha estimula poupança com resgate de fundos de pensão

A partir de 2025, os espanhóis podem resgatar as poupanças em fundos de pensões 10 anos depois da abertura. O novo decreto-lei baixa ainda as comissões de gestão desses produtos financeiros.

A partir de 2025, os espanhóis podem resgatar as poupanças em fundos de pensões 10 anos depois da abertura. O novo decreto-lei baixa ainda as comissões de gestão desses produtos financeiros.

O Governo espanhol aprovou esta sexta-feira um decreto-lei que permitirá resgatar as poupanças em fundos de pensões 10 anos depois da abertura, a partir de 2025, e baixa ainda as comissões de gestão desses produtos financeiro.

Até agora, para recuperar o capital poupado antes do fim do contrato, o investidor tinha de se encontrar numa situação excecional, como de desemprego de longa duração, de doença grave ou de risco de despejo de casa.

Em conferência de imprensa, após o Conselho de Ministros, o porta-voz do executivo espanhol, Íñigo Méndez de Vigo, explicou que se pretende “estimular” a poupança privada, “dar mais liquidez” à economia do país e “baixar de forma substancial as comissões” de gestão.

Madrid está convencida de que a possibilidade de resgatar o dinheiro poupado em planos de pensão transcorridos 10 anos será essencial para que os jovens avancem sem receio na contratação desse tipo de produtos. Há cerca de oito milhões de pessoas em Espanha com dinheiro investido em fundos de pensões que no total têm cerca de 106 mil milhões de euros, segundo o porta-voz do executivo espanhol.

No seu email. Sem contraindicações.

De segunda a sábado, consulte os especialistas em Desporto, Atualidade, Entretenimento, Tecnologia, Lifestyle e Motores.