Edifício d’O Comércio do Porto vai ser transformado em apartamentos de luxo

O edifício do antigo jornal "O Comércio do Porto" está a ser restaurado para ser um empreendimento de luxo. Os apartamentos estão todos vendidos e, a maior parte, a investidores portugueses.

O edifício do antigo jornal "O Comércio do Porto" está a ser restaurado para ser um empreendimento de luxo. Os apartamentos estão todos vendidos e, a maior parte, a investidores portugueses.

Um icónico edifício no centro histórico do Porto está a ser transformado num empreendimento de luxo, no âmbito de um projeto de reabilitação urbana. A morada do antigo jornal “O Comércio do Porto” é composta por 23 habitações que, ainda sem estarem completamente restauradas, já estão todas vendidas e, a maioria, a investidores nacionais.

Aliados 107D.R.

As obras de reabilitação do edifício Aliados 107, com apartamentos de tipologia T1 a T4, arrancou em 2016 e tem data de conclusão prevista para breve, de acordo com a Predibisa e a JLL, imobiliárias responsáveis pela comercialização. O imóvel é “destinado ao mercado de gama alta” e, ainda em fase de restauro, já está completamente vendido, “tendo-se registado maior procura por parte de compradores portugueses”.

Os valores dos apartamentos variam entre os 215 mil e os 1,45 milhões de euros, com 53 m2 e 243 m2, respetivamente. “A comercialização decorreu num excelente ritmo, não só devido a este ser um projeto exclusivo no coração do Porto e que trará os moradores de volta à Avenida dos Aliados, como também devido às características distintivas do edifício, a par de uma localização prime“, diz João Magalhães, da Predibisa.

O Aliados 107 recupera com excelência um edifício emblemático do Porto, permitindo trazer ao centro histórico um projeto residencial na sua mais importante avenida, refletindo a atual renovação da cidade. É uma proposta irresistível e isso revelou-se quer na dinâmica do ritmo das vendas quer no próprio perfil de comprador“, acrescenta Patrícia Barão da JLL.

O edifício foi construído em 1930 e tem assinatura dos arquitetos Rogério de Azevedo e Baltazar de Castro, sendo um dos edifícios mais emblemáticos da cidade. O novo projeto de reabilitação visa “conservar os aspetos arquitetónicos originais”, acrescentado mais conforto e comodidade. “A procura residencial na Baixa do Porto tem sido constante e crescente, designadamente em edifícios com memória histórica e alvo de reabilitação“, referem.

No seu email. Sem contraindicações.

De segunda a sábado, consulte os especialistas em Desporto, Atualidade, Entretenimento, Tecnologia, Lifestyle e Motores.