Apple disposta a substituir todas as baterias. Mesmo as que ainda estão boas

Empresa terá dado instruções aos funcionários para aceitarem todos os pedidos de substituição de bateria, mesmo as que passem os testes de diagnóstico. Serviço está mais barato.

Empresa terá dado instruções aos funcionários para aceitarem todos os pedidos de substituição de bateria, mesmo as que passem os testes de diagnóstico. Serviço está mais barato.

No final de dezembro, a Apple anunciou um corte no preço do serviço de substituição da bateria em iPhones mais antigos e já sem garantia. A medida serviu para acalmar os ânimos quando se descobriu que a empresa reduz o desempenho destes telemóveis para evitar que, devido à degradação da capacidade de carga, se desliguem inesperadamente. Agora, surge a notícia de que, alegadamente, a Apple deverá fazer a substituição das baterias mesmo que se encontrem em boas condições.

A informação é avançada pelo site especializado Mac Rumors, que cita uma nota interna da Apple. De acordo com a informação, a Apple terá dado indicações aos funcionários para que substituam as baterias dos iPhones a todos os utilizadores que o peçam, mesmo que esta componente passe com sucesso os próprios testes de diagnóstico da Apple. O serviço custava 79 dólares, mas a empresa reduziu para 29 dólares, uma promoção que se deverá manter em vigor até ao final deste ano.

Segundo o site, a marca tinha anunciado que esta redução de preço se aplicava a “qualquer pessoa com o iPhone 6 ou posterior cuja bateria precise de ser substituída”. No entanto, a notícia revelada esta semana mostra que a empresa estará disposta a substituir a bateria por menos de metade do preço, mesmo que esta esteja em boas condições. A empresa terá confirmado a informação ao Mac Rumors. Alegadamente, a Apple deverá ainda reembolsar quem recorreu a este serviço no período antes da entrada em vigor da promoção.

No final do ano passado, a Apple confirmou que faz os iPhones ficarem mais lentos quando a bateria se encontra no fim de vida útil, graças a uma ferramenta distribuída com a atualização 10.2.1 do iOS, o sistema operativo da marca da maçã. A confirmação levou a uma onda de indignação e dois clientes avançaram com processos judiciais contra a empresa. Face à polémica, a empresa emitiu um comunicado onde pede desculpa.